FERREIRINHA (VERSÃO DE TIÃO CARREIRO E PARDINHO)

25/09/2010 21:20

VÍDEO PARA ACOMPANHAR O SOLO: http://www.youtube.com/watch?v=HUpvwPxO7Q8

 

BATIDA REALIZADA NO INÍCIO DA MÚSICA E NO FINAL DE CADA ESTROFE:

|-5-5-5-5-5-0-0-5

|-5-5-5-5-5-0-0-5

|-5-5-5-5-5-0-0-5

|-5-5-5-5-5-0-0-5

|-5-5-5-5-5-0-0-5

  B C B  C B C B C   (tocar o acorde de Lá (A) uma vez para baixo, uma fez para cima,  vez para baixo, uma vez para cima,uma vez para baixo, tocar o acorde de Mí (E) uma vez para cima, uma vez para baixo, e tocar o acorde de Lá (A) uma vez para cima)

 

 

 

        [1]:

|-----------------------------------------

|-----------------------------------------

|-5-5-5-3-5-6-8-8-6-5-3-1-1-0-3-3

|-5-5-5-4-5-7-9-9-7-5-4-2-2-0-4-4

|-----------------------------------------

 

[2]:

|--------------------------------------------5

|--------------------------------------------5

|-0-0-5-5-5-6-8-8-10-10-8-8-6-5-5-5

|-0-0-5-5-5-7-9-9-10-10-9-9-7-5-5-5

|-------------------------------------------5 

 

[3]:

|-----------------------------------------

|-5-5-5-1-1-0-1-0-0-3-3-0-0------

|-5-5-5-2-2-0-2-0-0-4-4-0-0-0-0-

|----------------------------------------

|---------------------------------------

 

[4]:

|---------------------------------------5

|---------------------------------------5

|-1-1-1-0-----------------------------5

|-2-2-2-0---2-0-0/4-3-3-0-0-0-0-5

|-------------3-2-2/5-2-2-2-2-0-0-5

 

 

[1]Eu tinha um companheiro por nome de Ferreirinha

[2]Nós lidava com a boiada desde nós dois rapazinho

[3]Fomos buscar um boi bravo no campo do Espraiadinho

[4]Era vinte e oito quilômetros da cidade de Pardinho

                                

[1]Nós chegamos no tal campo cada um seguiu prum lado

[2]Ferreirinha foi num potro redomão muito cismado

[3Já era de tardezinha e eu já estava bem cansado

[4]Não encontrava o Ferreirinha e nem o tal boi arribado

 

[1]Naqui lá 'vistei o potro que vinha vindo assustado

[2]Sem arreio e sem ninguém fui ver o que tinha se dado

[3]Encontrei o Ferreirinha numa restinga deitado

[4]Tinha caído do potro e andou pro campo arrastado

 

[1]Quando avistei Ferreirinha meu coração se desfez

[2]Eu rolei do meu cavalo com tamanha rapidez

[3]Chamava ele por nome chamei duas ou três vez

[4]E notei que estava morto pela sua palidez

 

[1]Pra deixar meu companheiro é coisa que eu não fazia

[2]Deixar naquele deserto alguma onça comia

[3]Tava ali só eu e ele e Deus em nossa companhia

[4]Veio muitos pensamentos só um é que rosolvia

 

[1]Pra levar meu companheiro vejam quanto eu padeci

[2]Amarrei ele pro peito e numa árvore suspendi

[3]Cheguei meu cavalo embaixo e na garupa desci

[4]E com o cabo do cabresto eu amarrei ele ni mim

 

[1]Saí praquelas estradas tão triste , tão amolado

[2]Era um frio do mês de junho seu corpo estava gelado

[3]Já era uma meia-noite quando eu cheguei no povoado

[4]Deixei na porta da igreja e fui chamar o delegado

 

[1]A morte deste rapaz mais do que eu ninguém sentiu

[2]Deixei de lidar com gado minha inclinação sumiu

[3]Quando lembro essa passagem franqueza me dá arrepio

[4]Parece que a friagem das costa 'inda não saiu 

 

 

—————

Voltar